O Melhor da Ficção Científica em Chapolin

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O Melhor da Ficção Científica em Chapolin

Mensagem por ediv_diVad em Ter Dez 09, 2014 12:43 pm

Neste fim de sexta-feira, 28 de novembro, recebemos aquele tipo de notícia que machuca uma galera, que faz todo mundo ficar tristão e revendo vários momentos da infância: Roberto Bolaños, o ator que interpretou Chaves e Chapolin durante décadas, morreu. Bolaños fez parte da criação de muitos de nós, que gastavam tardes dos anos 90 assistindo SBT, e mesmo depois de velhos ainda riam de uma ou outra piada envolvendo aerolitos.

Mas além do humor escrachado e normalmente tosco, com efeitos especiais capengas e improvisados, os trabalhos de Bolaños com seus personagens – principalmente o herói Chapolin – muitas vezes envolveram ficção científica de altíssimo nível, com viagens espaciais, experimentos malucos do doutor Inventino, discos voadores e líquidos que faziam uma casa inteira voar. Como as séries foram produzidas nos anos 70, era de se esperar que a corrida espacial e todos os avanços tecnológicos fossem assunto dos episódios.

Para homenagear Roberto Bolaños e todos aqueles que ajudaram a aumentar essa fantasia espacial que até hoje nos deixa esperançosos em viajar por aí, e por tantos outros momentos divertidos e bestas, selecionamos o melhor da ficção científica produzida por Bolaños e sua turma. Sente a paulada da Marreta Biônica:


O Robô que Pirou



O robô criado pelo “maior inventor de todos os tempos” começa a bater em todo mundo da própria casa – inclusive no seu mestre. Como se não bastasse quebrar uma das  ​leis de Asimov, ele também transgride a ordem da robótica ao se matar aplicando um balde d’água em si mesmo. Isso só acontece depois que o Chapolin aparece no rolê pra bagunçar tudo mais.


O Planeta Vênus



Em meio à Corrida Espacial, Chapolin chega ao planeta Vênus após o que deve ser a primeira aparição de um módulo espacial na televisão brasileira. Ele tinha sido chamado pelas venusianas, habitantes do planeta que se assustaram com a aparição do homem. Com ajuda de pedras voadoras e falantes, o Chapolin defende as moças das investidas machistas dos terráqueos que, no fim, conquistam as moças com a língua local.


O Extrato de Energia Volátil



O homem não conseguiu nem inventar o hoverboard do McFly, que dirá um líquido com poder anti-gravitacional. Essa essência se mistura com uma tinta de parede e acaba levando uma casa embora pelos céus. O Chapolin é chamado para resolver o problema dessa tecnologia que, de tão poderosa, provoca um monte de treta. Ainda bem que ainda não inventamos isso.


O Bebê Jupiteriano



De férias em um hotel nas montanhas, ninguém espera que um disco voador apareça no rolê. Muito menos que ele abrigue um habitante bebê de Júpiter. Quem poderá nos defender? O bebê jupiteriano que parecia pequeno e indefeso se transforma em um gigante. Apenas Chapolin consegue decifrar a mensagem dos nossos amigos de outro planeta e descobre que o bebê foi enviado à Terra porque Júpiter está a ponto de sucumbir por guerra atômica. Corrida espacial e medo da bomba atômica, tudo junto, em um só gigante.


Aventuras em Marte



Dois episódios exibidos em um só no Brasil em formato de filme, “Aventuras em Marte” é a grande viagem de Chapolin ao planeta vermelho. Com direito a uma linda homenagem ao filme 2001: Uma Odisséia no Espaço, o filme tem um clima de tensão, emoção e um monte de piadas bestas também: o encontro de Chapolin com as marcianas (bem mais letradas e espertas do que as venusianas, no caso) mostra que trata-se de um povo muito mais avançado, parte do sonho e medo de todos nós ao explorar o espaço: e se eles forem inteligentes demais?


O Mosquito Biônico



Mais uma invenção do doutor Inventino dá errado, e o que temos aqui é um inimigo praticamente invisível: os personagens passam o capítulo inteiro enfrentando um pequeno inseto que os enche de picadas. A batalha de Chapolin contra o mosquito é um dos ápices de tosqueira das boas.


A Troca de Cérebros



“Sendo o cérebro uma espécie de computador eletrônico…”: é assim que começa uma das ideias mais malucas já vistas em Chapolin. A equipe de médicos sem muitos escrúpulos está disposta a provar que é possível trocar o cérebro de duas pessoas e usa um homem (Carlos Villagrán, o Quico) e uma mulher (Florinda Meza, a eterna Dona Florinda). Esse capítulo também eternizou Pepe, aquele que tirava a vela, e ficava em um laboratório todo decorado com papel-alumínio.


Os Marcianos



Como a gente caçando ETs, o Chapolin é cético até que lhe provem o contrário. Acontece que ele vê um disco voador, mas é confundido com um dos marcianos. Quando o nosso polegar descobre quem realmente são os extraterrestres, ele é vítima do raio desmilinguador e, depois, da pulseira eletromagnética. Uma arma de ficção científica não-letal e uma tecnologia vestível em um mesmo episódio.


Sai de Baixo que Lá Vem Pedra



Pedras não, são aerolitos! Um cientista fascinado pelos aerolitos perdeu seu bloquinho de notas e somente Chapolin poderá ajudá-lo. Durante a busca acontece uma surpresa sensacional para o cientista (não tanto para a segurança da humanidade, talvez): o recorde nacional de queda de aerolitos.​


De: [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]

_________________
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
avatar
ediv_diVad
Farrista além das fronteiras da sanidade
Farrista além das fronteiras da sanidade

Mensagens : 20306
Data de inscrição : 10/06/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Melhor da Ficção Científica em Chapolin

Mensagem por Jamm em Ter Dez 09, 2014 6:06 pm

Dias de Sci -fi no Brasil by Sílvio Santos

_________________
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
avatar
Jamm
Farrista além das fronteiras da sanidade
Farrista além das fronteiras da sanidade

Mensagens : 18456
Data de inscrição : 18/06/2010

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum